sexta-feira, 27 de maio de 2016

Reportagem do Jornal em Foco- " Todo sonho deve ser sonhado."


“Todo o sonho deve ser sonhado”


Alex Guenther é um profissional das histórias em quadrinhos, nascido Alex Leonardo Guenther em Blumenau, Santa Catarina, em 16 de abril de 1978. Casado com Sheila Vital Guenther, é pai de Arthur Vital Guenther. No seu currículo, há histórias em quadrinhos e graphic novels sobre a história de Blumenau e região. Nesta entrevista, ele fala sobre seu processo de criação e de seu entusiasmo pelo trabalho artístico.

 

Há na tua família outros artistas que produzem histórias em quadrinhos?

Não, apenas eu segui esse caminho, apesar de muitos parentes seguirem a vertente do desenho ligado a área artística ou publicitária.

 

Quando começou teu interesse pelos quadrinhos e o que te levou a acreditar que esta poderia vir a se tornar a tua profissão?

Comecei a ler histórias em quadrinhos muito cedo, antes mesmo de ir para a escola. Meu interesse pela mistura de desenhos e a história, juntando ao seu colorido impactante, teve grande influência para que eu preferisse este tipo de arte. Após terminar a faculdade, tinha a pretensão há muito tempo de lançar uma história em quadrinhos. Quando lancei “O Desbravador, a Fundação da Colônia Blumenau” (2003), viabilizada através do Funcultural de Santa Catarina, teve uma enorme repercussão no estado. Naquela época, pouquíssimas pessoas estavam fazendo resgate histórico através dos quadrinhos. Percebi um nicho a ser desenvolvido e lancei muitas outras revistas depois. Fui me profissionalizando com o tempo, com a experiência adquirida em cada trabalho desenvolvido.

 

De onde vem a inspiração para a criação das tuas tramas e personagens? Há casos nos quais eles são personagens da história contemporânea de Blumenau e região?

A maioria dos personagens desenvolvidos são históricos, como Dr. Blumenau, Edith Gaertner, entre outros. Então, tive que me conter às suas personalidades, procurei seguir os relatos que li a respeito de cada um deles. Sempre que possível, utilizei sátiras, pois gosto de histórias bem humoradas. Entre vários roteiros que desenvolvi e ainda não criei para outras revistas, utilizo como referência estereótipos de filmes antigos de todos os gêneros.

 

A ideia de produzir a revistas próprias surgiu quando?

Desde a minha primeira revista, já tinha noção da dificuldade da produção de uma publicação independente. Todo o processo de comercialização e distribuição. Existiam na época e ainda hoje existem muitos entraves para todo esse processo. Decidi que histórias histórico-culturais poderiam ser mais facilmente apoiadas por leis de incentivo à cultura e mais facilmente distribuídas pelos colégios e prefeituras. Sendo assim, pesquisei o assunto e vi algumas oportunidades que surgiram através das leis. Desenvolvi trabalhos somente com esse foco por algum tempo.

 

Alguém te ajudou na formatação ou foi tudo criação própria?

Sempre realizei todo o processo sozinho. Desde a pesquisa até a montagem final para impressão. Em algumas revistas, contei com revisão histórica e ortográfica, sempre necessárias.

 

Como foi a reação dos primeiros patrocinadores que receberam tua visita em busca de apoio para publicar tuas criações?

Em 2001, comecei a desenvolver revistas em quadrinhos independentes com apoio privado, com inserções de material publicitário na revista. Foi assim com as três revistas “Catacomics”, desenvolvidas pelo primeiro coletivo de artistas catarinenses e nas duas revistas que tratam da “História da Cerveja”, as quais desenvolvi nos anos de 2014 e 2015. Muitos empresários viam com bons olhos a iniciativa, pela inovação e até mesmo pelo desconhecimento de uma nova mídia. Mas alguns viam com desconfiança, achando que talvez fosse qualquer coisa sem importância para ninguém. Como sempre, apareci muito na mídia por causa dos projetos anteriores, e isso sempre ajudou muito para a viabilização dos projetos seguintes: pela segurança passada pelo fato de o assunto ter uma comprovação prévia.

 

A produção de uma revista ou de uma série de revistas em quadrinhos demanda mão de obra especializada. Com quem pudesses ou ainda podes contar, neste processo de criação?

Sempre desenvolvi tudo sozinho. É uma área em que o conhecimento deve estar alinhando. São muitas disciplinas a serem empregadas – desenho, roteiro, enquadramento, arte final, colorização. Muitos amigos realizam o trabalho sozinho, porém quando possuem uma equipe o trabalho flui melhor em todas áreas. Em muitos casos, fiz parceira com o texto e roteiro, ficando encarregado apenas das ilustrações.

 

Quantas e quais são as revistas em quadrinhos produzidas por ti, e de que temas elas tratam?

“O Desbravador, a fundação da colônia Blumenau” (2003) fala sobre a origem da colônia de Blumenau. “Vale dos Imigrantes” (2004) trata sobre a colonização do Vale do Itajaí pelos italianos. “Conhecendo o Museu da Família Colonial” (2004) trata sobre a vida de Edith Gaertner, sobrinha neta do Dr. Blumenau que viveu na casa onde hoje é o Museu de Blumenau. “Oktoberfest, Origens e Tradições” (2006) trata sobre a origem das Oktoberfest de Munique e Blumenau e tradições germânicas dos clubes de caça e tiro. “Apae 45 anos: do sonho à realidade” (2010) foi produzida para a Apae de Blumenau, contando tudo sobre seus 45 anos de história.

“Os Xokleng” (2010) narrada graficamente como uma novela, apresenta a história com personagens variados, contando vários trechos importantes sobre a população indígena de Santa Catarina. “Catacomics, quadrinhos independentes”, coletânea de histórias desenvolvida sempre por seis artistas da região, teve três revistas desenvolvidas de 2011 a 2012.

“Jóias para o Führer” (2012), em parceira com o escritor Fernando Henrique Becker e Silva, narra em uma novela gráfica a lenda dos túneis secretos que passam pelo centro de Blumenau, ambientada na época do nazismo. “A história da cerveja no mundo e em Blumenau” (2012, viabilizada em 2014) conta as origens da cerveja no mundo e sobre os primeiros cervejeiros blumenauenses, pioneiros nacionais. “A saborosa empreitada da cerveja pelo mundo” (2014) trata sobre o mercado atual cervejeiro, mostrando o advento das cervejarias artesanais e sobre processos de fabricação e estilos de cerveja.

 

Qual o significado e a importância destas produções para o artista Alex?

Todas as histórias têm sua importância. Não somente para mim, como artista, que aprendi e evoluí com cada uma delas, seja na pesquisa mais apurada, num roteiro mais específico ou num desenho melhor acabado – como também para a sociedade, que se beneficia de um trabalho voltado para a educação e para o resgate cultural das tradições da nossa região.

 

Fizeste incursões pela história de Blumenau e região através dos quadrinhos. Como foi esta experiência? Há outros projetos sendo preparados nesta linha?

É sempre muito rica e proveitosa a experiência de trabalhar com quadrinhos históricos. Através de sua produção, se conhece a fundo a história de seus antepassados e fundadores, e todas as dificuldades que eles passaram. Vez ou outra, sou cogitado para produção de quadrinhos nessa área por outros profissionais dos setores cultural e histórico. No momento, estou para começar uma nova revista sobre a população indígena de uma cidade de Santa Catarina.

 

Há escritor que escreve todos os dias, há pintor que pinta todos os dias... Mas, e o Alex, também produz todos os dias? Como é a tua "rotina" (se é que existe uma na tua vida de autor / criador / editor) quando o assunto é produção de quadrinhos?

Já houve tempo em que eu conseguia desenhar 3 horas por dia, o que é fundamental para se ter um traço solto e bem acabado. Mas as diversas obrigações me fazem desenhar mais aos finais de semana e nas horas vagas. Quando tenho um projeto a desenvolver, aí sim é preciso focar no design de personagens e desenhá-los constantemente afim de fazê-los até de olhos fechados!

 

O que tens a dizer a um(a) artista principiante na tua área de atuação que esteja lendo esta entrevista? Valem os esforços? Vale o sonho?

Todo o sonho deve ser sonhado. Se acredita e gosta do que se faz, vale a pena investir num sonho!

 

Do universo das histórias em quadrinhos, quais os artistas que mais te agradam ou que eventualmente tenham te inspirado nas tuas produções?

Tem um artista em especial da qual gosto muito, o nome dele é Scott Campbel, que mistura quadrinhos com desenho animado em seu layout. Tenho muita admiração pelo traçado de suas obras, ricas e envolventes. Brasileiros, gosto muito do Ed Bennes, Ed Barrows e Danilo Beiruth que fazem enorme sucesso mundo afora.




 
Reportagem veiculada dia 27/05/2016

terça-feira, 14 de abril de 2015

História em Quadrinhos: A saborosa empreitada da cerveja pelo mundo

A SABOROSA EMPREITADA DA CERVEJA PELO MUNDO

HISTÓRIA EM QUADRINHOS:
A SABOROSA EMPREITADA DA CERVEJA PELO MUNDO

A saborosa empreitada da cerveja pelo mundo é uma história em quadrinhos que apresenta a continuação da revista " A história da cerveja do mundo e em Blumenau (2014), obra do autor blumenauense Alex Guenther. Nesta segunda parte, o personagem principal Hugo Barman e sua sobrinha Edith, viajam pelo mundo a fim de obter maiores conhecimentos sobre os ingredientes e métodos de fabricação das cervejas mais apreciadas. Esta história apresenta ainda muitas curiosidades sobre origens e estilos de cervejas, festivais e a ascensão das micro-cervejarias e suas cervejas artesanais.O trabalho foi viabilizado pelo apoio direto de 28 empresas, que adquiriram cotas publicitárias com a inserção de anúncios dentro da revista, recebendo assim, parte da tiragem total de 3.000 revistas. 

São elas:
Cervejaria Container, Hering Harmônicas, Stuttgart artigos finos, Choperia e restaurante Thapyoka, Empório Blumenau, Don Peppone Ristorante, Alemão Batata Choperia, Ristorante Funiculi Funicula, Empório Vale Europeu, Tritão Lanches, Ideal Cartuchos, Suss Haus Panificadora e Confeitaria, Xis do Gaúcho, Tip Tim Lanches, 1.2.3 Cerveja, Lanchonete Casa velha, Snoopy Lanches,  Gráfica I9, CTNR Treinamentos, Divi Lanches, JSA Sports, Clínica Veterinária Dr Peryel, Garcia Projetos, Pós Graduação Uniasselvi, Phisicus Academia, Big Lanche do Feio, Mega Pizza e Casa do Aplicativo.


A tiragem, será distribuída gratuitamente pelos apoiadores do projeto que receberam suas cotas de revistas. Baixe a revista pelo blog oficial: http://origensdacerveja.blogspot.com.br

 

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

ENTREVISTA AO PROGRAMA 1 2 3 CERVEJA

Entrevista  publicada no dia 11/09/2014 ao programa temático, 1 2 3  Cerveja, de Blumenau, sobre a história em quadrinhos: A história da cerveja no mundo e em Blumenau, do ilustrador e quadrinista Alex Guenther. Conheça o projeto da revista pelo blog: origensdacerveja.blogspot.com.br


quarta-feira, 7 de maio de 2014

HQ sobre a história da cerveja - matéria do Jornal de Santa Catarina

Reportagem realizada pelo Jornal de Santa Catarina sobre a revista em quadrinhos: A história da cerveja no mundo e em Blumenau.

TRAÇOS FERMENTADOS - por Camila Iara
Jornal de Santa Catarina -  07/05/2014




Baixe a revista pelo Blog: origensdacerveja.blogspot.com.br

Matéria digital Click RBS:

Quem entra no escritório do ilustrador Alex Guenther, no bairro da Velha, percebe logo de cara: o blumenauense é apaixonado por histórias em quadrinhos. Na parede, um grande pôster do filme Homem-Aranha revela o gosto pelo universo dos super-heróis. Bonecos do Super-Homem, Darth Vader e Lanterna Verde enfeitam as prateleiras e fazem companhia enquanto o quadrinista se dedica ao trabalho. Formado em Publicidade e Propaganda e pós-graduado em Design Gráfico, Guenther soube aos seis anos que queria ser artista. Aprendeu a desenhar sozinho e começou a se dedicar profissionalmente a esta arte em 2003. E é com ares de ineditismo que ele lança sexta-feira, aos 36 anos, a 11ª obra da carreira: a primeira HQ que conta a trajetória da cerveja no mundo e, em especial, em Blumenau.

– Santa Catarina como um todo tem várias histórias interessantes, tanto da colonização, da população indígena, como da própria Oktoberfest. Temos em Blumenau o Museu da Cerveja, isso é muito forte aqui. Então me pareceu um trabalho bacana de fazer – explica o autor.

Nas 23 páginas da história, um simpático barman narra a trajetória e ascensão da bebida através do tempo. A revista foi totalmente financiada pela iniciativa privada e será distribuída gratuitamente em hotéis, museus e pontos turísticos da cidade. O lançamento oficial ocorre às 19h de sexta-feira no bar Barbas do Profeta, no bairro da Velha. Quem preferir pode baixar a HQ no blog origensdacerveja.blogspot.com.br.

Colecionador de histórias em quadrinhos – ele tem cerca de 3 mil volumes em casa –, Guenther comenta que se inspirou em ilustradores como Maurício de Sousa (criador da Turma da Mônica) para compor a nova obra. A HQ foi feita a lápis e finalizada digitalmente com os programas Illustrator e Photoshop.

– Apostei em um traço mais cartunesco, mais divertido. Não é pra ser algo muito sério – destaca o quadrinista.

Mesmo com os riscos divertidos, a HQ é recomendada para maiores de 18 anos por abordar o tema cerveja.

sábado, 19 de abril de 2014

HQ - A história da cerveja no mundo e em Blumenau

Um inédito trabalho com histórias em quadrinhos do ilustrador e quadrinista Alex Guenther já pode ser conferido pelos apreciadores do gênero.

A HQ, " A história da cerveja no mundo e em Blumenau" !

Conhecida por diversos nomes como Cerevisia, Cerveza, Biére, Bier, Beer, Birra, a Cerveja tem sua origem ligada aos povos da pré-história. Sua ascensão como bebida  acompanhou a trajetória da humanidade, servindo como pagamento para reis, conquistando imperadores ou sendo oferecida aos deuses. 

Pela primeira vez, as origens da cerveja ganha sua história em formato de quadrinhos. Iniciado no ano de 2010, pelo ilustrador e quadrinista blumenauense Alex Guenther, a HQ, “A HISTÓRIA DA CERVEJA NO MUNDO E EM BLUMENAU”, se propõe a contar resumidamente um pouco da história da bebida alcoólica mais consumida no mundo e sua introdução na cidade de Blumenau, importante polo produtor de cervejas no Brasil.

O trabalho foi viabilizado pelo apoio direto de 19 empresas blumenauenses, que adquiriram cotas publicitárias com a inserção de anúncios dentro da revista, recebendo assim, parte da tiragem total de 3.500 revistas.

São elas: CERVEJARIA BIERLAND, STUTTGART ARTIGOS FINOS, LINK, QUALY TRAIL, ALEMÃO BATATA CHOPERIA, RISTORANTE FUNICULI FUNICULA, GASTHOF BIER ARK, DON PEPPONE RISTORANTE, SUSS HAUS PANIFICADORA E CONFEITARIA, BAGGIO PIZZERIA & FOCACCERIA, WUNDER BIER, SAINT GOURMET RESTAURANTE, NR TREINAMENTOS, ROCKDJ, JSA SPORTS, GARCIA PROJETOS, FÁCIL COMUNICAÇÃO VISUAL, OKTOBERGRUPPE, ROCHA BECKER SILVA ADVOCACIA CIVEL E EMPRESARIAL.

Toda tiragem (3.500 revistas) será distribuída gratuitamente entre os apoiadores do projeto,  museus, hotéis e pontos turísticos de Blumenau.

Para conferir o material e baixar a revista, acesse o blog: http://origensdacerveja.blogspot.com.br





quarta-feira, 19 de março de 2014

VAMPIRELA

Ilustração em técnica de pintura digital sobre a personagem de terror, VAMPIRELA. Ilustrado por Alex Guenther (www.alexguenther.com)


sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

ILUSTRAÇÃO BRAZILIAN TOP TEN

Ilustração produzida em técnica de pintura digital inspirada na Copa do mundo do Brasil, 2014.
www.alexguenther.com


O bravo Viking

Ilustração em técnica de pintura digital de Viking. 
www.alexguenther.com


quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

LIVRO: Henry Greston no presídio das mortes

Para o próximo mês de março, está previsto o lançamento o segundo livro do autor blumenauense Carlos Axt. Seguindo uma série de aventuras do mesmo personagem Henry Greston, o livro intitulado de " Henry Greston no presídio das mortes" conta aventuras de quatro amigos que vivem num orfanato e enfrentam seitas e personagens misteriosos. Capa e ilustrações de Alex Guenther.(www.alexguenther.com)







PINUP NATALINA

Seguindo a tendencia mundial no meio da ilustração digital, o ilustrador Alex Guenther produziu uma Pinup digital com tema de natal. As pinturas digitais realistas tem se popularizado nos últimos anos, agregando valor a marcas e produtos que optam por ser apresentados desta forma.

site do autor: www.alexguenther.com


sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

QUADRINHOS DICAS DO LELÊ

A turma dos bem nutridos agora ganha uma divertida opção para se informar sobre  alimentação, fitness, treinamentos, com a história em quadrinhos Dicas do Lelê. Uma página de quadrinhos mensal que sempre trará uma nova história apresentando o consultor em nutrição esportiva Leandro Rebelo, dando suas dicas.

Arte de Alex Guenther: www.alexguenther.com


quinta-feira, 28 de novembro de 2013

OFICINA DE AQUARELA EM BLUMENAU

Foi realizado neste final de semana 23 e 24 de novembro (2013) na Universidade Regional de Blumenau (FURB), uma excelente oficina de pintura em técnica de Aquarela, pelo artista Nestor Junior. A oficina teve 10 horas de duração entre o sábado e domingo, onde foi apresentado os matérias utilizados, técnicas diversas e exercícios práticos. A técnica de aquarela é uma das mais desejadas pelos estudantes de arte, desenhistas em geral pela sua beleza estética única da qual pode ser empregada com sucesso na área literária, têxtil e publicitária.

Alex Guenther.

 
 

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

LANÇAMENTO DO LIVRO INFANTIL LOBERVAL

    No próximo dia 18 de setembro de 2013, irá se realizar o lançamento do livro infantil LOBERVAL, O LOBO QUE NÃO ERA MAU, da autora blumenauense Regina Ballmann. O livro de 47 páginas, ricamente colorido é assinado pelo ilustrador Alex Guenther. A obra foi produzida em 2010 e somente agora será lançada, com o apoio da empresa de Pomerode, Rabaker Brinquedos, como um empreendimento particular para vendas em livrarias e bancas da região.
 O livro trata ludicamente sobre o tema, do ser diferente dos outros.
 
Lançamento marcado para o dia 18/09/2013, na Livraria Catarinense do Shopping Neumarkt de Blumenau às 19:00 hrs.
 
Para conhecer outros trabalhos do gênero do ilustrador Alex Guenther acesse: www.alexguenther.com
 


 
 
 
 

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Doação de Conhecimento - Matéria do Jornal de Pomerode


Matéria do Jornal de Pomerode veiculada dia 24/07/2013 sobre os trabalhos do quadrinista Alex Guenther.


Doação de conhecimento

Histórias em quadrinhos que retratam a
colonização alemã, são doadas à Secretaria
de Educação de Pomerode com o objetivo de

promover o incentivo à história

     Nenhum tema pode ser tão histórico para Pomerode, como a colonização alemã. E,baseada em sua importância e relevância, histórias em quadrinhos foram doadas à Secretaria de Educação da cidade, que as distribuirá entre as escolas municipais. A doação foi efetuada por Alex Guenther, publicitário que se especializou na criação de ilustrações e que atua no mercado desde 2003. Para o ilustrador, há muitos benefícios no desenvolvimento do conhecimento através de histórias em quadrinhos (HQS). “É de extrema importância a incorporação não só destas, mas de todas as histórias em quadrinhos dentro das salas de aula. Já é conhecido os benefícios das HQS nas escolas. São lidos e apreciados pelas pessoas de todas as idades. É a porta de entrada para a leitura e o conhecimento. Um material como esse, que resgata a história de um povo, de forma lúdica e divertida, só beneficia e ajuda as crianças em sua formação educacional”, afirma.

      “Os projetos foram executados em 2003 a 2006, viabilizados pelos Fundos de Incentivo a Cultura - Funcultural, Funturismo e Lei Municipal de apoio a cultura de Blumenau. ”, conta Alex. Em 2003 a história escrita foi “O desbravador”, com 10 mil tiragens. Em 2004, foi a vez de “Vale dos Imigrantes” e “Conhecendo o Museu da Família Colonial”, com 10 e 5 mil tiragens, respectivamente. Em 2006, “Oktoberfest, Origens e Tradições, com10 mil tiragens, em 2010 “Os Xokleng”, com duas mil e, finalizando, “Jóias para o Fuhrer”, com 1.200 tiragens, em 2012. O tema escolhido para os projetos são tão ricos quanto a história de nossos colonizadores. “Os projetos contam histórias sobre a colonização alemã. "O Desbravador" apresenta a formação da colônia Blumenau, a história de luta do fundador da cidade, em 24 páginas. Em “Conhecendo o Museu da Família Colonial”, a intenção foi apresentar o complexo de casas do museu de Blumenau e mostrar personagens e lugares interessantes, como a sobrinha neta do fundador Edith Gaertner e seu cemitério de gatos.

     Na revista "Oktoberfest, Origens e Tradições”pretendi apresentar as origens da festa, desde a época da Baviera, como também mostrar um pouco sobre a dança, clubes de caça e tiro e outras peculiaridades
da festa. Nossa cultura é rica, assim como a história dos primeiros colonizadores que vieram para cá, dignos de produção de filmes, por isso meu interesse em retrata-los pela nona arte, ou arte sequencial”, completa. A escolha pelo tema cultural e histórico é baseada, também, na carência desse material diferenciado. “Meu interesse em retratar estas incríveis histórias também veio de encontro, à época em
que procurava algum tema a trabalhar em quadrinhos. Senti uma carência desse tipo de material e comecei a produzir eu mesmo, sendo estas minhas primeiras revistas. Hoje em dia é comum
ver esse tipo de material em todos os estados. Desde 2003 produzi seis revistas em quadrinhos
nesta linha histórico/ cultural”, ressalta. Das seis histórias escritas, três foram doados a Pomerode.

     “Foram doados na época, em Blumenau, ao todo, em torno de 32.000 revistas em quadrinhos para os colégios municipais. Doei parte do meu acervo pessoal para Secretaria de Educação de Pomerode, onde 300 revistas eram “O desbravador”, 300 revistas de “Oktoberfest” e 100 revistas de “Conhecendo
o Museu da Família Colonial”, explica. Pomerode foi escolhida para doação, por também fazer parte da história de Blumenau. “Guardei muitas revistas durante muito tempo, sempre as doando em eventos de quadrinhos ou para ONGs, como a Apae de Blumenau, da qual também tive a oportunidade de produzir uma revista sobre seus 45 anos, esperando sempre a hora certa para doá-las. Neste último ano andei produzindo muito para Pomerode, com a revista em quadrinhos do Zuk, a qual foi apresentado na Festa Pomerana. Acredito que Pomerode, uma cidade tão linda e com uma cultura tão forte, mereça também essa doação, pois ela faz parte da história de Blumenau”, comenta. Ciente da importância de projetos diferenciados, Alex conta que efetua a doação de histórias sempre que possível. “Estou doando as
últimas edições que me sobraram, pois a grande parte já foi realizada há alguns anos. Pretendo realizar novos trabalhos com HQS e sempre que puder, darei minha contribuição à sociedade e às escolas”, afirma. A doação foi efetuada na semana passada e entregue, em mãos, à Secretária de Educação de Pomerode e tem uma importância especial. “A cultura alemã, como a italiana, é muito forte e suas raízes devem ser sempre estimuladas através da produção de revistas em quadrinhos, livros, dança, musica e peças de teatro. As novas gerações devem estar atentas à modernidade e ao futuro, sem esquecer estas raízes, o que torna um povo forte e soberano. Os quadrinhos, e sempre estiveram no meio disso tudo,como o principal meio de divulgação cultural desde o inicio dos tempos”, frisa.

     Projetos – Trabalhando como ilustrador, quadrinista e designer gráfico para agências, empresas

e clientes em geral, Alex, durante os anos, desenvolveu muitos trabalhos com quadrinhos, do qual se orgulha. “Tenho finalizado, desde 2010, uma revista em quadrinhos intitulada de "A História da Cerveja no Mundo e Em Blumenau" pela qual aguardo pelo processo burocrático de aprovação e captação de recursos há três anos. Estou tentando há algum tempo viabilizar este inédito trabalho em âmbito nacional e acredito que será um grande sucesso. É difícil fazer quadrinhos no Brasil. Faço porque amo, mesmo que sem remuneração como em vários outros projetos da qual organizei como a Catacomics, quadrinhos independentes, finaliza. Para conhecer mais sobre Alex Guenther, basta entrar no site www.alexguenther.com